17/03/2017

Possessive Love - Capítulo 8 - Onde está Destiny?


Jenny, socorro!
— Sky? — chamou-a. — Skylar?
A aflição no rosto e na voz da prima atraiu a atenção de Stacy, que estava dirigindo. Jenny continuou a chamar por sua prima, mas desistiu quando os grito de Skylar foram diminuindo, assim como a movimentação do outro lado da linha. Seus olhos se encheram de lágrimas, ela se manteve em choque com o celular ainda no ouvido e apenas recebendo o silêncio como resposta.
— Jenny, por favor, o que aconteceu? Sky está bem? — Perguntou Stacy, desviando os olhos da estrada. — Jenny?
Ela não conseguia responder, ouvia apenas ao fundo a voz de Stacy. Os gritos de Skylar ainda estavam em sua mente, a aterrorizando. Ela ouviu sua prima gritar por socorro. Ela não pode ajudar. Stacy continuou a chamá-la, sentindo seu coração se apertar e a sensação de que algo grave aconteceu. Jenny voltou para a realidade e apenas conseguiu dizer: 
— Ele pegou a Sky!
O coração de Stacy falhou uma batida, ela fixou os olhos em sua prima procurando por algum indício de que fosse uma brincadeira de mau gosto. Mas Jenny não estava brincando. Um clarão quase a cegou e o som de buzina a fez voltar sua atenção para a estrada. Stacy percebeu ter mudado de faixa e estar na contramão, e desviou por pouco de um carro. Sentiu o sangue gelar em suas veias e rapidamente pisou no acelerador, ela precisava chegar logo em casa.

A frente da casa estava repleta de viaturas, os vizinhos assistiam a cena completamente horrorizados. Dois polícias interrogavam o entregador de pizza, enquanto peritos entravam na casa para examiná-la. A faixa que separava a multidão da cena do crime foi violada por Jenny e Stacy, que correram desesperadas em direção à casa, mas foram barradas pelos polícias. 
— Essa é minha casa, — explicou aflita— onde está minha irmã? 
— Senhorita, acalme-se, por favor! — pediu um deles.
— Eu não quero me acalmar, eu quero saber onde está minha irmã! — respondeu com raiva. 
— Por favor, venham comigo — pediu um investigador, as acompanhando para dentro de casa.

Skylar Houck’s P.O.V.
Senti meus olhos pesados como chumbo, tentei abri-los, mas me sentia fraca. Forcei minhas pálpebras a abrirem mais um vez e tive sucesso, mas os raios de luz que entravam pelas janelas me fizeram fechá-los novamente. Sentei-me na cama e senti uma pontada na cabeça, levei uma mão até o local e fiz uma careta. Senti algo pesar e incomodar meu pés, retirei o lençol que me cobria e vi que vestia apenas uma camisa masculina e o que incomodava meus pés, era uma tornozeleira com rastreador.
Bufei irritada e me levantei, mas desejei me deitar de novo, tudo a minha volta estava girando. Levei mais alguns instantes para voltar ao normal, mas quando o fiz pude observar o ambiente a minha volta. Eu estava em um quarto com decoração em preto e branco, parecia ser um quarto masculino. Me aproximei da janela e a abri, mas grades me impediam de sair por ali. A casa parecia ser grande, o lado de fora era enorme e diversos seguranças estavam espalhados pelo gramado. Eles pareciam estar armados até os dente. Um muro alto com cercas elétricas se estendia ao redor da propriedade, que era cercada por uma mata fechada. 
Saí do quarto e segui o extenso corredor, que deu em uma escadaria enorme. Desci as escadas e avistei a porta de entrada. Andei até ela e me frustrei, ao ver o painel de senha para abri-la. Observei melhor a casa; ela era gigante, com móveis rústicos e enormes cortinas nas janelas, de onde estava tinha uma visão da sala de estar, e do enorme lustre que estava no centro. Uma porta-dupla ao lado do hall de entrada me chamou a atenção, andei até ela e girei as maçanetas.
Era um escritório, mas o que atraiu foi quem estava sentado atrás da escrivaninha.
— Acordou, docinho — aquela voz rouca.
— Jura, Justin? Uma tornozeleira? Portas com senha?
— Não posso deixar você fugir de novo, meu amor — debochou.
— Você é doente! — Afirmei com ódio.
— Somente por você, docinho — sorriu, maldoso.

Stacy Houck’s P.O.V.
— Sente-se, por favor, senhorita.
— Eu não quero me sentar, cadê minha irmã? 
— E-eu vou buscar uma água pra você — disse Jenny, em prantos, logo saindo da sala.
— Eu sou o investigador Parker, irei cuidar do caso da sua irmã. Até agora o que sabemos é que ela foi sequestrada. Um entregador de pizza encontrou a porta aberta e a casa revirada, — só nesse momento percebi os vários objetos quebrados. A cada palavra dita eu sentia meu coração se apertar e meu choro aumentar — ele chamou a polícia no mesmo instante. O celular dela estava no quarto, as últimas chamadas foram para a pizzaria, para você e para sua prima. Os vizinhos disseram ter escutado gritos de socorro e viram uma van parada em frente a casa…
A voz do investigador foi ficando mais longe, minhas vistas começaram a escurecer e minha cabeça a girar. Em questão de segundos tudo apagou e a última coisa que ouvi foi Jenny gritar meu nome.

[…]

Acordei em um quarto de hospital, ao meu lado estava Jenny, que assim que me viu acordada, rapidamente se levantou.
— Stacy, como está se sentindo? — perguntou.
— O que aconteceu?
— Você desmaiou, o médico disse que você desmaiou porque ficou muito nervosa.
— Cadê a Sky? — perguntei.
— Ainda não a encontraram. Ninguém viu nada além da van preta em frente a casa.
— Foi o Bieber. — murmurei.
— O que? — perguntou confusa.
— Foi o Bieber — disse mais alto. — Aquele filho da puta pegou ela, era ele o tempo todo.
— Tem certeza? Porque Justin iria sequestrar a Sky?
— Jenny, Bieber não é o mesmo há muito tempo!

Continua…


VOLTEIII!
Finalmente.
Tá extremamente pequeno, eu sei, mas foi o que saiu. O que acharam? Será que sempre foi o Justin perceguindo ela e Stacy vai aprontar alguma?
Lembram-se daquele tutorial de layout que eu prometi? Pois então, eu já postei a primeira parte dele. Corre lá pra ver!
Por hoje é só, eu espero voltar logo com o capítulo 9, enquanto isso comentem, não custa nada.
Até o próximo, fiquem com Deus e beijos de Chanel .

+ 3 comentários.
Visite:
Imagine Belieber
Imagine Belieber2
Fanfics - Justin Bieber
One Dí Dreams
Wonderland Fanfics
Dangerous Love Imagine Belieber

5 comentários

Que tal deixar seu comentário?
Isso estimula a autora a continuar e deixa seu dia mais feliz! C:
Aceitamos criticas, sugestões, elogios... Mas nada de ofensas, viu?
Seus comentários poderão ajudar no desenvolvimento do blog. Nos avise no caso de algum link errado!