19/12/2016

Don't Leave Me - Prólogo

Justin Bieber’s P.O.V.
Me sentei naquele banco como fazia todos os dias. Olhei para a enorme janela no segundo andar, e lá estava ela com seus movimentos suaves e delicados. Sua roupa extremamente colada marcava suas curvas.
Ela continuou com seus movimentos graciosos e um arrepio percorreu todo o meu corpo. Observei uma mulher de cabelos negros se aproximar do meu anjo e lhe dizer algumas palavras, pude perceber que eram elogios, pois um sorriso encantador se abriu em seus lábios.
Seus movimentos mudaram de acordo com as palavras de sua professora. Seus cabelos estavam presos em um coque perfeito. O brilho da luz do Sol batia em sua pele clara e, mesmo de longe, pude ver seu suor escorrer.
Desviei o olhar para o meu bolso, peguei meu maço de cigarros e levei um à boca. Acendi e voltei a observá-la. Um arrepio percorreu toda a minha espinha, quando aqueles olhos, extremamente azuis, se encontraram com os meus. Ficamos nos olhando por alguns instantes, percebi que meu anjo havia parado de dançar.
Sua professora se aproximou, ela desviou o olhar e balançou a cabeça. A mulher de cabelos negros lhe disse mais alguma coisa, e minha garota assentiu saindo dali. Com um suspiro pesado, me levantei dali e segui para casa.

O bairro onde morava não era o mais seguro para se viver, mas era onde eu nasci. Respirei fundo quando vi que já estava me aproximando da rua de minha casa. Não queria voltar para lá, não queria ter mais uma discussão com meu pai. A de hoje mais cedo já havia sido o suficiente para me deixar esgotado.
Soltei um suspiro de alívio ao avistar Khalil e Dylan parados na esquina. Me aproximei deles e os cumprimentei.
— E aí, por onde andava Bieber, não te vi o dia todo. — disse Dylan.
— Fui dar uma volta pra esfriar a cabeça. — respondi jogando o resto do cigarro no chão, pisando em cima.
— Brigou com o velho de novo? — perguntou Khalil.
Assenti cansado e coloquei as mãos nos bolsos de minha calça.
— O que você aprontou dessa vez? — debochou Dylan.
— Fui expulso da escola. — eu ri e eles me acompanharam.
— Você é foda, Drew. Mas aí, precisamos levar mais um lá pro Brian, preciso de dinheiro. — disse Dylan.
— Beleza, mas é a sua vez de pegar o carro! — o respondi.
Fomos andando algumas quadras à procura de um carro interessante e que nos rendesse um bom dinheiro. De repente, um carro estacionado próximo a uma esquina, nos chamou atenção. Era um modelo esportivo prateado, ele era rebaixado e tinha rodas personalizadas. Realmente, daria uma boa grana.
Dylan atravessou a rua correndo em direção ao carro, enquanto Khalil e eu ficamos de vigia. Observei Dylan puxar o ferro que escondia em sua cintura e tentar destravar o carro. Um ônibus passou em nossa frente, tapando nossa visão do carro. O ônibus parou na mesma esquina e, vi uma mulher de cabelos negros descer, logo em seguida, a minha garota.
Fiquei a observando por uns instantes. Ela usava a mesma roupa da academia de dança, extremamente apertada, pude ver de perto suas curvas mais destacadas. Um sorriso brilhava em seu rosto. De repente, um barulho alto preencheu a rua. Era o alarme do carro. Dylan gritou para corrermos e atravessou a rua em nossa direção.
Corremos para um beco e assim que entramos, uma viatura passou ao nosso lado.
— Wow. — disse Khalil ao ver a viatura.
— Essa foi por pouco. Eu falei para vocês vigiarem! — disse Dylan irritado.
— Eu achei que o Justin estava olhando. — respondeu Khalil.
— E eu achei que você estava olhando. — respondi irritado.
— ‘Ta que se foda. Vamos sair logo daqui. — disse Dylan.
Assentimos e saímos do beco devagar, para não chamar a atenção dos policiais, que agora estavam conversando com o proprietário do veículo. Andamos por alguns minutos e quando vi, já estava em frente a minha casa.
Me despedi dos garotos, prometendo ajudá-los no dia seguinte. Andei até a entrada de minha casa e parei. Fitei a porta e respirei fundo. Abri a porta adentrando a casa em seguida. Olhei para a escada e lá estava ele.
Meu pai se encontrava jogado na escada, com uma garrafa de whisky barato e roncava como um trator. Me aproximei e senti o cheiro forte da bebida. Suspirei cansado e decidi levá-lo para o quarto. Com muito custo consegui levá-lo para cima. O joguei em cima de sua cama e deixei um copo de água e um comprimido para dor de cabeça em cima do criado-mudo. Quem sabe assim ele acordaria com o humor um pouco melhor.
Entrei em meu quarto já tirando a camiseta e a jogando no chão. Terminei de me despir no banheiro, entrando no box em seguida, e relaxando com a água quente que caia sobre mim.
Sai do banho e coloquei apenas uma cueca. Me joguei na cama e, em poucos minutos, adormeci.

Observei ela dançar em cima daquele palco, de forma graciosa. Seus movimentos eram ágeis e delicados; ela parecia dançar com a alma. A forma que ela se movia me dava arrepios. Ah! Como eu queria que ela dançasse assim somente para mim.
Ela continuou com seus movimentos perfeitamente ensaiados. Ela deu um salto e logo em seguida um rodopio. Tudo de forma perfeita. A música suave soava pelo ambiente e, só quando olhei em volta, pude ver que era um teatro. Eu me encontrava em cima do palco sentado em uma cadeira.
Minha garota dançava a minha frente, então eu vi: ela dançava somente para mim, assim como eu desejei. E então, ela olhou para mim. Ela parou de dançar e abriu um sorriso. Seus olhos azuis pareciam brilhar mais que o normal. Ela deu alguns passos em minha direção e voltou a dançar. Olhando nos meus olhos. E então, ela caiu.
Me levantei rapidamente para ajudá-la. Quando me abaixei em sua frente, ela levantou seu rosto: chorava. Estendi minha mão em sua direção, mas ela a rejeitou. Tentei novamente, mas ela negou. Abri a boca para lhe dizer algo, mas ela disse primeiro.
— Por favor, saia daqui. Me deixe em paz, eu não quero mais te ter por perto.

Abri os olhos assustado. Olhei em volta e vi que estava em meu quarto. Tinha sido apenas um sonho. Um sonho estranho e confuso. Olhei no relógio e vi que eram apenas 2h da manhã. Toda vez que a vejo dançar, tenho esse sonho. O mesmo sonho.
Oh Deus, quem é essa garota?


Heeyy, atrasei algumas horas porque dormi dudjdkwndksmdk.
Como eu tinha dito: caso eu não tivesse capítulo 9 de PL pronto até hoje, eu postaria o primeiro capítulo desta aqui.
Na verdade, eu comecei o capítulo 9, porém não terminei haha'
Enfim, espero que tenham gostado e que comentem, pois é extritamente importante eu saber oque estão achando.
É isso, fiquem com Deus e beijos de Chanel ♚.
+ 2 comentários

8 comentários

Que tal deixar seu comentário?
Isso estimula a autora a continuar e deixa seu dia mais feliz! C:
Aceitamos criticas, sugestões, elogios... Mas nada de ofensas, viu?
Seus comentários poderão ajudar no desenvolvimento do blog. Nos avise no caso de algum link errado!