04/11/2016

Possessive Love - Prólogo

A garota caminhava tranquilamente pelas ruas de seu novo bairro. Skylar tinha acabado de se mudar para Atlanta. Seu pai, Peter Houck, havia conseguido um emprego em umas das maiores empresas de montagem de carros dos Estados Unidos, que estava situada em Atlanta.
Ao passear pelas ruas de seu bairro, a garota avistou uma quadra de basquete. Vários garotos estavam lá jogando, também havia outras garotas, algumas pareciam ser boas, outras de nariz em pé, que apenas estavam ali para dar em cima dos garotos que jogavam sem camisa.
Sky, com apenas 14 anos, não se importava muito com garotos. Mas, um havia lhe chamado a atenção. O garoto de cabelos castanhos e olhos escuros. A menina se aproximou mais para vê-lo jogar. Encantada e distraída, Sky não viu quando a bola a acertou. Ela caiu no chão, um pouco tonta pela pancada forte na cabeça.
Um garoto loiro se aproximou para ajudá-la.
— Desculpe-me por isso, você está bem? — perguntou ele, estendendo a mão para ajudá-la a levantar.
— Estou sim, não se preocupe — abriu um pequeno sorriso, sentindo suas bochechas ruborizarem. — Sou Skylar — apresentou-se.
Ele abriu um grande sorriso e lhe estendeu a mão.
— Justin.
[…]

Ela avistou seu melhor amigo guardando os livros no armário e se aproximou. Sky estava com aquela ideia na cabeça há dias, e enfim criou coragem para pedir tal coisa ao seu melhor amigo. Assim que a menina parou ao lado do armário dele, Justin abriu um sorriso encantador.
— Oi, Drew — o cumprimentou, já ruborizando envergonhada pelo pedido que estava prestes a fazer.
— Fala, baixinha, o que quer? — perguntou, notando as bochechas vermelhas de Sky.
— Eu vou à sua casa hoje, preciso de sua ajuda numa coisa.
— E no que seria? — perguntou curioso.
— Quero que você me ensine a beijar. Acho que Sean está gostando de mim. Desde que você nos apresentou, ele anda muito diferente comigo — Justin enrugou a testa e sentiu seu sangue ferver de irritação, ao mesmo tempo em que se encantou com a ideia de Skylar ter seu primeiro beijo com ele. — Me ajuda? Você sabe como eu gosto dele!
Justin respirou fundo e fez questão de engolir seu ciúme, ele queria ver Skylar feliz, mesmo que não fosse com ele.
— Tudo bem eu ensino e te ajudo a ficar com… Ele.

[…]

A garota sorria abertamente para o garoto. Pareciam realmente se gostar, mas Sky não estava muito feliz como aparentava. Por dentro, ela sentia que ele não era o cara certo. Alguma coisa fazia seus pensamentos voarem até seu melhor amigo, Justin Bieber.
Desde que teve aquela “aula de beijo”, ela não parava de pensar nele. Com Sean era legal, mas não era com ele que Skylar queria estar. Ela estava se apaixonando lentamente por Justin Bieber.
Justin andava apressado pelos corredores do colégio. Ele queria falar com sua garota antes que o sinal batesse. Mas, ao se aproximar do armário de Sky, Justin viu Sean próximo demais dela. Como se fosse em câmera lenta, Bieber viu sua garota beijando outro.
Ele sabia que isso iria acontecer quando deu as supostas aulas, mas vê-los daquela forma era horrível. Então, sem pensar duas vezes, Justin se aproximou em passos largos e deferiu um soco no rosto de Sean.
O garoto dos cabelos escuros caiu ao chão, já sentindo o canto de sua boca sangrar. Skylar soltou um grito de susto e segurou Justin, quando o mesmo tentou avançar para cima de Sean novamente.
— QUAL É O SEU PROBLEMA, JUSTIN? — gritou.
— ELE ESTAVA TE BEIJANDO — seu rosto estava vermelho e seus olhos pareciam soltar faíscas.
— E DAÍ? — retrucou confusa.
— E DAÍ QUE EU TE AMO PORRA!

[…]

Jeremy Bieber, o grande traficante de armas e dono das melhores boates de Atlanta. O império de Jeremy era muito grande, sendo assim, ele tinha muitos inimigos poderosos e esfarrapados. Muito moleques sem experiência queriam tomar seu lugar, mas nenhum conseguia nem ao menos chegar perto.
Ele treinava seu filho como se estivesse preparando-o para algo que estava para acontecer. Conselhos e mais conselhos eram dados à Justin, queria passar o máximo de tempo que podia com seu único filho. Mas Jeremy era um homem muito exigente, qualquer um que quisesse trabalhar para ele deveria demonstrar que era capaz. E com seu filho não seria diferente.
Naquele exato momento, Justin estava em uma van disfarçada, preparando-se para assaltar uma joalheria junto com seus amigos. Ryan, Chis e Chaz eram quase irmãos de Justin, então entraram nesse mundo junto com ele.
Eles não tinham um plano exato, tinham que improvisar. Então, eles fizeram o toque deles e desejaram boa sorte um para os outros. A joalheria ficava fora do shopping, então a fuga e a ação seriam mais fáceis. Chaz parou a van em frente ao local do assalto, eles saíram da van já com máscaras, roupas pretas e luvas. Chaz saiu dali cantando pneu assim que todos já estavam entrando na joalheria.
Eles invadiram a loja e começaram a atirar para cima, chamando a atenção das pessoas e as assustando. Logo Ryan e Chris foram levando as pessoas para o fundo da loja, enquanto Justin quebrava os vidros e enchia os sacos pretos com as jóias. Os outros dois trancaram a sala em que as pessoas estavam, depois de recolherem seus pertences, e partiram para o escritório. Conseguiram abrir o cofre e pegaram os documentos das jóias.
Eles voltaram para onde Justin estava, os três saíram da loja e Chaz já estava com a van parada em frente à joalheria. Parecia ter sido o crime perfeito, mas Justin não contava com Skylar. Ela estava na loja, uma bala a acertou de raspão, mesmo eles tomando todo o cuidado para os tiros serem direcionados apenas para cima.

[…]

— O que faz aqui? — perguntou o loiro confuso ao ver sua namorada adentrando o seu quarto.
— Oi, amor. Você não foi à escola hoje de novo, pensei que tivesse acontecido alguma coisa — respondeu com um pequeno sorriso, mas logo o desmanchou quando sentiu o cheiro de bebida. — Aonde você foi?
— O quê? — franziu a testa.
— Justin, não adianta tentar disfarçar, eu estou sentindo o cheiro da bebida em você. — a garota disse já se irritando.
— Ah, ahn… Eu estava apenas comemorando com os garotos — respondeu, escolhendo suas palavras cautelosamente.
— E eu posso saber o que estavam comemorando?
— Porra, Skylar, para que tantas perguntas? Comemoramos um trabalho que fizemos, só isso. — respondeu rude.
— Justin, não precisa me tratar assim, eu só estou preocupada com você. Que tipo de trabalho foi esse que você precisou sair para comemorar a semana inteira?
— Não é da sua conta. Agora me deixe em paz.
Skylar se assustou com a forma rude que Justin estava a tratando. Ela pensou muito ao sair de casa se deveria ou não contar, mas agora ela já não se importava mais.
— Sean me chamou para sair hoje — disse firme, fitando Bieber. — Eu disse que não ia, mas agora, acho melhor eu ir. Você não quer minha companhia mesmo.
Virou-se para sair, mas foi impedida por sua voz alterada.
— VOCÊ NÃO OUSE SAIR COM ESSE CARA — ele já se encontrava em pé.
— E por que não? — provocou. — Você nem ao menos tem olhado na minha cara direito desde que começou a sair com esses caras. Justin, você tem me tratado como se eu fosse sua vadia. Eu não vou ficar tolerando isso!
— EU JÁ DISSE QUE VOCÊ NÃO VAI!
Justin a puxou pelo braço com força, com certeza aquilo ficaria marcado depois.
— E POR QUE NÃO? — gritou já descontrolada. — EU FAÇO O QUE EU QUISER!
Naquele momento, Justin se descontrolou. Skylar sentiu o impacto de seu corpo no chão e sua bochecha arder. Assustada, ela encarou Justin com os olhos cheios de lágrimas. A garota levou sua mão até o local da pancada e massageou, numa tentativa inútil de diminuir o ardor.
— Eu já disse que não quero você de papo com aquele viadinho. Você é minha, Skylar, só minha. Não me faça ter que lhe dar uma boa surra para você aprender isso — abaixou um pouco o tom de voz.
Mesmo tentando não transparecer, Justin estava assustado com seu próprio ato.
— Justin, seu pai quer nos ver agora no escritório dele. Acho que é sobre o assalto da joalheria, ele… — Ryan entrou falando, mas se alto interrompeu ao perceber que Skylar estava no quarto.
— Foi você. — a garota sussurrou. — EU NÃO ACREDITO, JUSTIN!
— Skylar… Eu… — ele tentava se aproximar para acalmá-la, mas a mesma, que já estava de pé, afastava-se dele. Ela estava com medo desde o dia do assalto, e Justin sabia disso, mas Skylar não sabia que havia sido ele um dos assaltantes.
EU TE ODEIO!

[…]

O sinal tocou exatamente às 15h, logo a frente do prédio da escola foi tomada por alunos cansados. Em meio a todo aquele alvoroço, a garota dos cabelos negros procurava por seu namorado Justin, que mais uma vez havia faltado a aula.
Desde que Justin ousou bater em Sky, a garota se manteve meio afastada dele. Justin não se importou muito, desde que todos soubessem que Skylar Destiny Houck pertencia a ele, estava tudo bem.
Ao andar mais um pouco, avistou o loiro encostado em seu carro de luxo, rodeado por seus três inseparáveis companheiros e por alguns novos amigos, os quais Sky não gostava nem um pouco.
A menina se aproximou dele com um pouco de receio por sua reação, já que esse novo Justin, que vivia bebendo e se drogando, ela não conseguia reconhecer. Assim que ele a viu, ignorou-a e continuou a rir de algo que um deles havia contado.
— Olá, meninos — cumprimentou. — Justin, podemos conversar?
— Não. — respondeu curto e grosso.
— Qual é, Drew? Vai lá conversar com ela — Insistiu Ryan.
Justin por fim se afastou deles, mas continuava perto o suficiente para eles ouvirem se falassem alto.
— O que você quer? — perguntou direto.
— Eu queria saber por que você faltou à aula hoje — disse depois de um longo suspiro.
— Não te interessa!
— Justin…
— Não, Sky, eu já estou cansado de você ficar me fazendo perguntas — se alterou. — Será que dá pra parar de pegar no meu pé? Você é somente a vadia que eu tenho na minha cama a hora que eu quiser. Eu não devo satisfações a você! — disse quase gritando.
As pessoas ao redor já olhavam a cena e comentavam. Um misto de confusão se espalhou pelo peito Skylar e ela passou a pensar se realmente valia a pena ser tratada daquele modo. Então, quando chegou a uma conclusão, ela limpou suas lágrimas e levantou seu rosto, olhando no fundo daqueles olhos cor de mel.
— Acabou! — disse firme.
— O quê? — foi quando a ficha caiu e Justin percebeu o que havia feito. — Sky, meu amor, espera… Eu não…
— ACABOU, JUSTIN! — disse por fim e saiu dali, construindo um muro ao redor de seu coração, para que ele pudesse se curar sem ser quebrado novamente.

[…]

As lágrimas escorriam com violência de seus olhos. Seu rosto estava vermelho e ardia por conta das quase 4h em que ela esteve chorando. Sky estava assim há quase uma semana, desde o fim do seu namoro com Justin.
A porta de seu quarto se abriu devagar, o homem colocou somente a cabeça para dentro e suspirou. Ver sua filha sofrendo daquele modo era horrível. Ele tomou coragem e a chamou:
— Sky, meu anjo? — a garota rapidamente secou suas lágrimas e se sentou na cama.
— Pode entrar, papai — e assim ele fez, procurando forças para lhe dar aquela notícia.
— Meu amor, temos que conversar — ela assentiu com os olhos vermelhos. — É que… Tenho uma má notícia.
Preocupada, ela franziu o cenho e fez sinal para que seu pai continuasse. Depois de alguns minutos em silêncio ele finalmente soltou:
— Vamos ter que nos mudar para o Brasil!
E de repente, um sorriso se iluminou em seu rosto, como se aquela fosse a melhor notícia que Skylar havia recebido. Ela finalmente encontrou um meio para fugir de seu amor.

[…]

A bebida gelada descia por sua garganta, lhe causando arrepios. A garota loira sentada em seu colo rebolava na tentativa falha de conseguir algo a mais com o garoto. Justin começou a distribuir beijos por seu pescoço, mas a única coisa que ele conseguia pensar era que aquela garota em seu colo ajudaria a tirar sua Sky da cabeça, pelo menos aquela noite.
Estava tudo pronto para o sequestro de Skylar no dia seguinte. Tudo o que Justin precisava fazer era ir pegar sua garota enquanto os outros garotos faziam o resto. Um garoto de pele escura apareceu no campo de vista de Justin e colocou sobre a mesa à sua frente os saquinhos de drogas que ele havia pedido.
Após algumas carreirinhas e mais duas garrafas de bebidas, Justin já não conseguia se manter em pé. Ele empurrou a garota de seu colo e se levantou. Desceu as escadas e se enfiou no meio da multidão, enquanto procurava por seus amigos, Justin avistou uma garota morena.
A forma que ela movia seu corpo conforme a batida da música, o hipnotizou. Ele logo se aproximou da moça e começou a mover seu corpo junto ao dela. Como estava bêbado, Justin pensava que aquela era sua pequena Skylar. Ele puxou a garota, após um beijo quente, para o seu escritório. Os dois só sairiam de lá quando o dia clareasse.


O celular tocava novamente, o seu som alto preenchia todo o escritório, mas logo parou de tocar. Justin abriu os olhos lentamente, mas voltou a fechá-los com força quando a claridade o incomodou. Ele olhou para o lado e a mesma garota da noite anterior ainda estava lá.
Seu celular voltou a tocar e Justin rapidamente o pegou para atender.
— ONDE VOCÊ ESTÁ, BIEBER? — gritou Chris do outro lado da linha.
— Porra, cara, não grita — falou sonolento e com dor de cabeça.
— Está de ressaca, é? — ele debochou. — BEM FEITO, SEU FILHO DA PUTA, SABE QUE HORAS SÃO?
— O quê? — perguntou confuso, mas logo se lembrou do que se tratava. — Cadê minha Sky, Chis?
O garoto deu uma risada debochada do outro lado, ele estava muito irritado, na verdade, todos estavam.
— A Sky, Justin? Ela foi embora! — dito isso ele desligou.
Justin demorou um tempo para deixar a fixa cair, mas quando caiu, ele percebeu o que havia acontecido. Sua garota já havia ido embora, era tarde demais.

[…]

Ao receber a notícia do que Justin pretendia fazer, Pattie rapidamente comprou uma passagem para Atlanta. Precisava ver seu filho, precisava saber se estava tudo bem. Assim que o táxi parou em frente àquela casa enorme, ela desceu rapidamente. Não se importando com suas malas, algum segurança as pegaria.
Ela entrou na casa chamando por seu filho, mas não obteve resposta. Logo se lembrou que ele estava preso em seu quarto há exatos dois dias, sem descer para comer nada, segundo Ryan. Ela bateu na porta do quarto, mas ninguém respondeu ou abriu. Bateu mais uma vez e… Nada novamente.
Preocupada e sem cabeça para ir atrás da chave reserva, chamou o segurança que trazia suas malas para arrombar a porta. Um baque alto foi ouvido quando ela foi ao chão. Pattie, assim que entrou, sentiu o enorme cheiro de bebida e cigarro. Em cima da cama de Justin havia várias garrafas vazias, assim como alguns saquinhos de pó.
Ela andou até o banheiro… E o encontrou.
Caído no chão. Sua pele estava pálida, sua boca levemente roxa e… Ela espumava. Justin havia tido uma overdose.

Seus olhos já estavam abertos há alguns segundos, mas queriam se fechar novamente, suas pálpebras pesavam como pedra. Pattie, ao perceber seu filho acordado, abriu um sorriso largo de felicidade e alívio.
— O que aconteceu? — sua voz saiu baixa e rouca. — O que estou fazendo em um hospital? Mamãe, você sabe que eu detesto hospitais.
— Você esteve desacordado por quase quatro dias, Justin — respondeu calma e triste. Teria que lhe dar uma noticia horrível.
O garoto confuso tentou se levantar, mas sua mãe logo o acalmou.
— O que aconteceu? — repetiu a pergunta.
— Você teve… Uma overdose — a frase quase não saiu.
Justin arregalou os olhos levemente e se praguejou. Ao olhar para as mãos de sua mãe, viu alguns papéis, os quais ela ainda não havia terminado de preencher.
— Que papéis são esses? — silêncio. — Mãe?
— São para sua internação — seu coração parecia querer rasgar o peito.
— O quê? — sua voz saiu falha. — Que internação?
Patrícia respirou fundo e engoliu o choro que estava preso em sua garganta. Não queria chegar a algo tão extremo, mas Justin não lhe deixara outra saída. Desde que Jeremy havia falecido, Justin foi se afundando em bebidas. Quando Skylar terminou com ele, Justin se afundou mais ainda. Até chegar ao extremo, como agora.
Você vai para um clínica de reabilitação, meu filho!

Continua…


Tive um problema com o blog e tudo foi apagado, então estou postando de novo :(
Continuo?
+2 Comentários
Visite:
Imagine Belieber
Imagine Belieber
Imagine Belieber Hot
Imagine Belieber Hot
One Dí Dreams
Wonderland Fanfics

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigado por comentar. Devido ao enem, posto o segundo na terça ;)

      Excluir
  2. vou começar agora, eu vi um video da fanfic, e gostei <3

    ResponderExcluir
  3. Oi sou a Vitória, gostei da história kkkkk vou acompanhar também kkkko Beijos

    ResponderExcluir

Que tal deixar seu comentário?
Isso estimula a autora a continuar e deixa seu dia mais feliz! C:
Aceitamos criticas, sugestões, elogios... Mas nada de ofensas, viu?
Seus comentários poderão ajudar no desenvolvimento do blog. Nos avise no caso de algum link errado!